quarta-feira, outubro 04, 2006

A Cozinha Tailandesa Merece Melhor

Restaurante Naga Thai

Nos últimos anos, de uma forma mais ou menos discreta, têm surgido diversos restaurantes de cozinha tailandesa. Uns têm tido sucesso e conseguem ter a casa bem composta, outros vão tentando sobreviver adaptando-se, por vezes, aos paladares mais ocidentais. Ao contrário de cozinhas étnicas, como a Indiana ou a chinesa – cujo baixo custo do “descongela, cozinha, põe no prato e serve à mesa” lhes garantiu uma rápida expansão –, na cozinha tailandesa o processo é mais complicado: como fast food não têm o poder dos seus “vizinhos” e para praticar uma cozinha de qualidade estão dependentes do acesso a determinados produtos frescos, normalmente onerosos, por serem bens perecíveis, comprados em pequenas quantidades e, grande parte, de proveniência longínqua. É por isso normal que na hora de se pagar a conta possa haver algum desconforto, sobretudo se a experiência não tiver correspondido ao que nos pedem. Infelizmente foi essa a situação por que passei, recentemente, num jantar no Nagathai, ali para os lados do Jardim de S. Pedro de Alcântara ao Bairro Alto. O espaço é generoso e decorado entre o tradicional e o contemporâneo, o que o torna agradável, apesar da iluminação pouco acolhedora e da ameaça eminente de uma tela gigante (que felizmente nunca passou do slide inicial). Fomos recebidos por um empregado – pareceu-me ser o chefe de sala - que entre o didáctico e o paternalista lá nos foi explicando as características dos vários grupos de pratos do menu. Sim, porque entre entradas, sopas, saladas, pratos de caril, de peixe, de carne, completos, vegetarianos, acompanhamentos e sobremesas, existem 158 hipóteses de escolha! Por azar, das 7 escolhidas, apenas duas convenceram: a Tom Yam Goong – um dos pratos mais emblemáticos da Tailândia – (9.5€) e o pudim de abóbora com leite de coco. A primeira, uma sopa com gambas, sumo de lima, gengibre, leite de coco e ervas aromáticas, estava saborosa, com um contraste agridoce bem conseguido. O problema é que até chegar à sobremesa, tudo o resto roçou entre a mediania e a mediocridade. Os pastéis de peixe com caril vermelho e ervas aromáticas (7€) estavam banais e a galinha salteada em molho thai, gengibre, cogumelos pretos e abacaxi (13.50€), desenxabida, dando a sensação de que o frango – chamar-lhe galinha é um eufemismo – só tomou contacto com os parceiros de prato na hora de ir à wok. Pior mesmo foi o robalo ao vapor com molho de ervas thai e lima (14.5€). O objectivo de cozinhar a vapor é o de preservar as características dos alimentos, tornando-os mais saudáveis e saborosos. O problema é que o peixe era por certo de viveiro e nem as ervas thai lhe conseguiram transmitir algum sabor. Para compor o ramalhete, os acompanhamentos, pagos à parte, estiveram ao mesmo nível: o arroz de jasmim (2.5€), grudado – embora não tivéssemos pedido a versão “sticky rice” – e os vegetais (3.5€) entre o cru e o afogado em molho de soja. Talvez por causa deste naufrágio todo, a sobremesa, o tal pudim de abóbora que referi no início, tenha sabido tão bem. A acompanhar a refeição, bebemos um Esporão branco (19.5€) – de uma carta de vinhos assim para o carote, curta e proeminentemente composta por tintos – que só a muito custo foi servido em copos minimamente adequados (primeiro recusámos uns “tipo” pastelaria e, depois, recusámos uns flutes). O serviço foi lento e atabalhoado, com troca de pedidos e desculpas esfarrapadas do género “a casa está cheia” (mesmo que tivéssemos sido dos primeiros a chegar).
Pode ser que das outras 151 opções se consigam conjugar outras 7 de forma a obter-se uma refeição agradável. Fico à espera de relatos nesse sentido. Por mim, passo.
A conta: 77€, 2 pessoas.


Morada: Rua D. Pedro de Alcântara, 65,67 e 69 Lisboa. Telef: 21 343 00 39

publicado originalmente no jornal OJE (www.oje.pt) em 4 de Outubro de 2006

9 comentários:

Anónimo disse...

Sou fã da comida tailandesa já a muitos anos,tanto na tailandia como na europa já comi em vários restaurantes da especialidade,realmente se a comparar a feita na tailandia, é um bocado diferente, pois de certeza que há alguns produtos, principalmente verduras que não chegam cá, mas em relação a europa foi dos melhores restaurantes tailandese onde já comi.gosto do staff,preocupam-se muito com o clientes.por mim parabéns ao NAGA.

Miguel Pires disse...

Pelos vistos somos ambos fãs de comida tailandesa. Foi por ter tido boas experiências neste tipo de cozinha, quer no próprio país (onde vou voltar no próximo mês) quer em cidades europeias, que me senti à vontade para escrever o que escrevi. De qualquer forma, fica aqui registado o seu feedback positivo em relação ao Naga Thai.
Disponha sempre!

Anónimo disse...

Vivi na Ásia 8 anos e posso dizer que os ´´unicos dois restaurantes verdadeiramente tailandeses na área de Lisboa são o Ban Thai (Alcântara) e o Sukhothai (Bairro Alto/ Rua da Atalaia). Fui a este último na passada semana e adorei pela simpatia, rapidez e qualidade da cozinha. Convidaram-me mesmo para ir à cozinha e ali falei com os dois cozinheiros tailandeses que foram muito simpáticos e até me deram uma receita de pudim de abóbora. Os preços são óptimos. O Tom yam kung só custa 3.75 E. Se lá for diga-me qualquer coisa, pois gosto de confrontar impressões.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Sabado passado, convidaram-me para uma festa de anos do dono da loja de flores (EM NOME DA ROSA),no restaurante naga.Não sabia da existência de tal restaurante;É realmente muito bonito,é de uma harmonia como poucos,realmente é pena a iluminação.Sobre o nosso jantar foi de bradar aos ceus,a entrada foi rolinhos frescos de vegetais com camarão marinado em lima e coentros seguido de frango ao curry panaeng acompanhado de asparagus sobre noodles,foi servido um vinho que não conhecia "Barão do Sul" tinto que achei uma delicia,por fim um arroz doce ao leite de coco acompanhado de manga.Tudo isto por 30 euros, pois o aniversariante negociou um menu de grupo.Em Relação aos empregados;o chefe de mesa acho que está deslocado naquele ambiente,pareceu-me muito formal,os demais penso que estão muito bem, são jovens bonitos e agradaveis no trato.
Voltarei
Filipa Leitão

Anónimo disse...

come-se bem e muito bonito

Anónimo disse...

O Restaurante NAGA faz hoje 8 meses que abriu as suas portas,com muito trabalho e dedicação pode-se dizer que têm sido um sucesso,a toda o momento são os próprios clientes que nos vêm dar os parabéns tanto pelo cozinheiro,como pela decoração e serviço,o que muito nos regozija pois quando se pensou no projecto, não foi só a questão económica que nos motivou, mas também e muito o prazer de dar a cidade de lisboa um resturante temático com qualidade;conseguimos em pouco tempo fidelizar muitos clientes, o que é dificil pois nós portugueses somos muito dependentes da nossa gastronomia, mas consegui-mo-lo.
Temos a certeza que com a ajuda dos nossos clientes, criticando-nos de uma forma positiva,objectiva e no momento, viremos certamente a ser melhor do que o bom, que já hoje somos.
os meus cumprimentos
O sócio gerente
Rui Fernandes

Anónimo disse...

Eu aconselho este restaurante em todas as suas vertentes;Decoração excelente,atendimento optimo, comida,o melhor que comi até hoje.
Peço desculpa ao editor deste blog de o contrariar.
Saudações gastronomicas .
Paulo Ribeiro

Anónimo disse...

Estabelecimento encerrado definitivamente